Seguidores

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

EU FIZ DO HOMEM MEU PAR


EU FIZ DO HOMEM MEU PAR
*
Sou do tempo que o olhar
Pedaço não arrancava
Sou do tempo que a cantada
A mulher não exasperava
Sou do tempo do coió
A gente amava que só
Aquele que paquerava.
*
Sou do tempo que dançar
Era bom agarradinho
Se eu quisesse ele quisesse
Dançava-se coladinho
Tinha o bolero brecado
A perna ia do outro lado
E o batom no colarinho.
*
Contudo para dançar
Mas sem gostar do sujeito
Para ele não encostar
Botava-se a mão no peito
Eles achavam um saco
A mulher botar macaco
Só para impor o respeito.
*
Sou do tempo que o homem
Podia um beijo roubar
E a mulher que era tímida
Acabava por gostar
Sou do tempo da bravata
De violão e serenata
De paixão e de luar.
*
Eu sou do tempo do flerte
Do bilhete e do recado
Do tal namoro escondido
Dos medos e do pecado
E da amiga alcoviteira
Que não era tão parceira
E roubava o namorado.
*
Sou do tempo que a mulher
Fugia para casar
Com um filho na barriga
Muitas foram ao altar
Sou prova da transgressão
Caminhei na contra mão
Mas fiz do homem meu par.
*
Sou do tempo que o amor
Fluía naturalmente
Se hoje a mulher tem medo
Do homem não é diferente
Foi-se a naturalidade
Em tudo se ver maldade
Eu quero um chá de nepente!
*
Versos e foto de Dalinha Catunda






quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

SENTADA NO BANCO DA PRAÇA

SENTADA NO BANCO DA PRAÇA
*
DÃO DE JAIME
Sentada tão solitária
Parecendo uma flor
Pela cara eu percebo
Que está de bom humor
Olhando o povo que passa
Pronta no banco da praça
Esperando seu amor
*
DALINHA CATUNDA
Sentada naquela praça
Eu revivi o meu passado
Lembrei a menina moça
De braços com namorado
Girando pela pracinha
E coisa melhor não tinha
Era meu mundo encantado.
*
Interação de Dão de Jaime e Dalinha Catunda

Foto de Dalinha Catunda

domingo, 31 de dezembro de 2017

QUE VENHA 2018!

QUE VENHA 2018!
*
Que seja bem venturoso
Esse ano que vai entrar
E que a luz no fim do túnel
Todos possam avistar
Que o Brasil desgovernado
Desenhe novo traçado
Para a vida melhorar.
*
Meu abraço a cada amigo
Que passou pra comentar,
E também para curtir
Compartilhar e acenar
A todos muito obrigada
Sinto-me prestigiada
A todos quero brindar!
*

Dalinha Catunda

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

NATAL COM JESUS


NATAL COM JESUS
*
Eu não quis badalação
Recolhi-me no Natal
Pois precisava afinal
De muita meditação
Desarmei meu coração
E conversei com Jesus
A ele roguei por luz
E fiquei apaziguada
COM JESUS EM MINHA ESTRADA
O MEU FUTURO RELUZ.
*
Foto e versos de Dalinha Catunda


segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

EU SOU

EU SOU
*
Sou a brisa na palmeira
Sou cheiro de alfazema
Sou a flor da catingueira
Sou espinho de jurema
Sou morena e sou faceira
Sou do cantador parceira
Sou os versos do poema.
*
Sou lamparina e pavio
Sou luz na escuridão
Sou Vagalume piscando
Sou o luar do sertão
Sou estrela matutina
Sou cabocla nordestina
Sou água de ribeirão
*
Sou a vela da jangada
Sou a cor verde do mar
Sou o canto da sereia
Sou cruviana a soprar
Sou a renda das rendeiras
Sou filha das Ipueiras
Sou das terras de Alencar.
*

Versos e foto de Dalinha Catunda

domingo, 24 de dezembro de 2017

NATAL SEM EMBUSTE

NATAL SEM EMBUSTE
*
Nesse Natal eu só quero
Um pouco de sapiência,
Que Deus me dê paciência
Eu peço. rogo e reitero.
Daquilo que não tolero
Que ele posso me livrar,
Que não venham me abraçar
Nem me beijar como Judas!
Com palavras pontiagudas
Explicito o meu pensar.
*

Dalinha Catunda

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

DEZ ANOS DE FACEBOOK

DEZ ANOS DE FACEBOOK
DOIS MIL AMIGOS
*
Já são dez anos no face
Fiz minha avalição
Propaguei o meu trabalho
E era essa a intenção
Eu ganhei a simpatia
De gente que aprecia
Essa minha vocação.
*
Sei que muita gente odeia
Esse meu jeito de ser
Não tenho papas na língua
Digo o que quero dizer
Não vivo de cumprir rito
Não quero fazer bonito
Faço o que quero fazer.
*
Quero aqui agradecer
Quem passa pra comentar
Quem passa só pra curtir
Quem gosta de acenar
Quem enche minha caixinha
Com um monte de figurinha
Que não param de piscar.
*
A todos muito obrigada
Aqui sou só gratidão
Eu agradeço o carinho
Porém dispenso sermão
Mas deixo nesse espaço
Meu mais sincero abraço
Dois mil amigos já são.
*
Versos DALINHA CATUNDA


sábado, 25 de novembro de 2017

CHICO SALLES SE ENCANTOU

CHICO SALLES SE ENCANTOU
*
Hoje amanheceu mais triste
A casa da poesia
Chico Salles s encantou
E trocou de moradia
Foi levando a sua luz
Para os braços de Jesus
Chora nossa academia.
*
Um poeta quando parte
Parte nosso coração
Mas seu canto ecoará
Mesmo em outra dimensão
Para o poeta e cantor
 Ante o lamento e a dor
Faço a minha louvação.
*

Versos e foto de Dalinha Catunda

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Flor do Cariri celebração.

Homenagem do Grupo Flor do Cariri
A Anilda Figueiredo e Fátima Corrêa
*
Hoje é dia de festa
Dia de celebração
Tem Flores com nova idade
No grupo de tradição
Um abraço coletivo
Envia esse grupo ativo
Que tem pacto de união.
*
Parabéns querida Anilda
Nosso abraço especial
E parabéns cara Fátima
Receba um abraço igual
De suas companheiras
Dessas florzinhas brejeiras
Um cheiro e ponto final.
*

Dalinha Catunda

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Dalinha Catunda e Fred Monteiro





















EU E FRED MONTEIRO
*
FRED MONTEIRO
Dalinha, cara poeta,
Atendendo ao seu chamado,
Relembro um tempo passado
Em que rimar era a meta..
e vou atirando a seta
Para não passar vexame
Pois não quero que me tome
Por cordelista esquecido
Tou mei’ desaparecido
Mas, qualquer coisa, me chame !
*
DALINHA CATUNDA
Meu caro Fred Monteiro
Eu permaneço na rinha
Pelejo na mesma linha
E lhe espero em meu terreiro
Sei que você é guerreiro
Em contenda nunca falha
Da língua faço navalha
Se você me desafia
Com gosto encaro a porfia
E me apronto pra batalha.

*