Seguidores

terça-feira, 15 de agosto de 2017

FORJANDO O VERSO


FORJANDO O VERSO
*
Com a musa em sintonia
A rima me acaricia
Para o verso eu conceber
Deixo a arte penetrar
Para que eu possa emprenhar
E ver o verso nascer.
*
Versos e foto de Dalinha Catunda

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Lampião morreu idoso num sítio em Minas Gerais

  










Lampião morreu idoso
Num sítio em Minas Gerais".
*
Depois de chegar da Lua
E ter passado por Marte,
Ele foi viver de arte
Cantando músicas na rua.
Junto com uma irmã sua
Fez strip em bacanais
Foi Momo em dois carnavais
Pelo Guaiamum Treloso..
"Lampião morreu idoso
Num sítio em Minas Gerais".
Mote: Jorge Filó.
Glosa: Ismael Gaião.

*
Foi depois que Lampião
Com “Padim Ciço” brigou
Que novo rumo tomou
Trocou de religião
No culto espantava o cão
Gritando nos rituais
Vi escrito nos anais
 Não é conto de trancoso:
"Lampião morreu idoso
Num sítio em Minas Gerais".
Glosa:Dalinha Catunda

Mote: Jorge Filó

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

PAIXÃO PELO VERSO

PAIXÃO PELO VERSO
*
Esse meu verso rimado
Eu trouxe lá do sertão
Para ficar aprumado
Botei metrificação
Para não ficar sem sal
Cumpro sempre o ritual
Rogo a musa inspiração.
*
Cuidados eu tenho sempre
Para não escorregar
Porém se eu quebrar o pé.
O remédio é consertar
Se de versos eu entendo
Procuro lendo e relendo
Erros para restaurar.
*
Atenção e paciência
Quem verseja deve ter
Pois a pressa é inimiga
De quem bem quer escrever
Vale a pena matutar
Com cada verso flertar
P’ra magia acontecer.
*
Tudo que faço na vida
Eu só faço com paixão
Cada verso é um suspiro
Que brota do coração
Para a regra não quebrar
Eu consigo me entregar
Mas sem perder a razão.
*

Versos e foto de Dalinha Catunda

domingo, 6 de agosto de 2017

Fazendo Rima


FAZENDO RIMA
*
GREGÓRIO FILOMENO
Esta Dalinha é danada
No bom sentido, pois não! 
Faz a rima improvisada
Alegrando o coração 
Mora no Rio de Janeiro
Onde passa o ano inteiro
Com saudade do sertão.
*
DALINHA CATUNDA
Gregório eu queria ser
Zefinha do Chabocão
Desafiar cabra macho
Também dizer palavrão
Fazer da língua chicote
Para açoitar um magote
De poeta fafarrão.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

"ERA SÓ MAIS UM SILVA..."

“ERA SÓ MAIS UM SILVA...”
*
Ele “era só mais um Silva”
Que a este mundo viria,
No ventre de Claudinéia
A placenta o protegia
Por uma bala perdida
Sua mãe foi atingida
E Arthur não resistiria.
*
Mas “era só mais um Silva”
Que a violência afetava
Que a falta de segurança
A estatística aumentava
Só mais uma mãe chorando
Nesse Brasil sem comando
Na TV eu comprovava.
*
A Clebson Cosme Silva
Só resta chorar a sorte
Morte Silva ou Severina
Temos num País sem Norte
Até quando padecer
Morrer querendo viver
Sem poder fugir da morte.
*

Versos de Dalinha Catunda

domingo, 30 de julho de 2017

HOLA!


HOLA!
Um cabra não sei de onde,
No meu face apareceu.
Numa língua diferente
Hola! O cabra escreveu,
Porém eu respondi bem
Rola!!!! pra você também
E o canalha escafedeu.
*
Pra ele ficar com raiva
Naquele dito momento
Eu lasquei no comentário
A foto de um jumento
Mostrando na ocasião
Sua documentação
E dei fim no atrevimento.
*
Versos e foto Dalinha Catunda

quinta-feira, 27 de julho de 2017

RASGANDO O VÉU

*
RASGANDO O VÉU
*
Sonho é só fantasia
Não basta idealizar
Não se perca em pudores
Aprenda a se desnudar
O concreto tem magia
Que adentra e contagia
A quem se permite amar.
*

Verso e foto Dalinha Catunda

terça-feira, 25 de julho de 2017

Dalinha Catunda e Ismael Gaião

ISMAEL GAIÃO
Saudade é a pior ferida
No peito de um infeliz.
Vem numa pequena cena
Ou em algo que alguém diz.
Se inflamada dói e arde,
Mas não mostra cicatriz.
*

DALINHA CATUNDA
Minha mãe sempre dizia
Que ouviu alguém dizer:
“Que a saudade é uma dor
Mas não é dor de doer
É vontade de lembrar
Com vontade de esquecer”
*

sexta-feira, 21 de julho de 2017

SER OU NÃO SER...

SER OU NÃO SER...
*
Não sou velha nem sou nova
Não sou feia nem bonita
Porém eu sou tudo isso
E todo mundo acredita
Às vezes eu só retrato
Às vezes eu sou de fato
O que eu trago na escrita.
*

Versos e foto de Dalinha Catunda

segunda-feira, 17 de julho de 2017

É MELHOR VIVER SOZINHO DO QUE MAL ACOMPANHADO.

É MELHOR VIVER SOZINHO
DO QUE MAL ACOMPANHADO.
*
GREGÓRIO FILOMENO
Não há nada nesta vida
Que cause mais dissabor
Do que dedicar amor
A gente prostituída
Quando a alma é corrompida
O corpo é contaminado
Nunca dá bom resultado
Comprar ou vender carinho
É MELHOR VIVER SOZINHO
DO QUE MAL ACOMPANHADO.
*
DALINHA CATUNDA
Chegou cheio de exigência
Só queria ser as pregas
Não era de cumprir regras
Fui perdendo a paciência
Sua falta de decência
Fez com que fosse chutado
Quando saiu do meu lado
Fez comentário mesquinho:
É MELHOR VIVER SOZINHO

DO QUE MAL ACOMPANHADO.